Softwares integrados: qual a importância para os laboratórios?

software integrado
7 minutos para ler

É praticamente impossível que uma empresa da área da saúde sobreviva sem contar com ferramentas digitais. Além de garantir segurança nos processos, elas facilitam a execução de tarefas operacionais e estratégicas do negócio.

Considerando os diversos fornecedores e ferramentas disponíveis, a integração das mesmas é uma grande aliada para garantir processos práticos, efetivos e seguros.

No seguimento de diagnósticos, desde a entrada do paciente até a emissão dos laudos, existem muitas tarefas que podem ser facilitadas através de softwares integrados, que podem garantir que tudo ocorra corretamente, sem atrasos ou impactos na experiência do cliente.

Para esclarecer como operam estes sistemas integrados, preparamos este artigo, com a colaboração do Sandro Claudino, que é Líder de Integrações na Matrix! Continue a leitura:

1.O que é a integração entre softwares?

A prática que visa conectar diferentes sistemas trocando informações entre eles é conhecida como integração entre softwares.

Independentemente de quem serão os beneficiados (sejam terceiros, clientes, ou até mesmo os processos internos), o intuito é garantir que todas as informações estejam disponíveis para acesso dos responsáveis.

Com a automação mais presente nos negócios e com novas soluções surgindo na área de TI, é necessário criar maneiras de otimizar a qualidade dos serviços. E com a análise de dados cada vez mais aprimorada, fica mais fácil otimizar processos, reduzir custos e reforçar o controle e a rastreabilidade.

Além disso, há mais produtividade nas equipes, confiabilidade de dados que chegam pela integração, e até mesmo a eliminação de erros humanos que podem impactar diretamente nos resultados.

2. Quais tipos de integração existem?

Cada integração é direcionada à um software e algumas operações específicas. Eles contam com protocolos direcionados e várias formas de comunicação que permitem o tráfego das informações.

Abaixo, elencamos os exemplos mais comuns:

  • Web Services: são utilizados para transferir dados através de protocolos de comunicação para diferentes plataformas web, independentemente das linguagens de programação utilizadas e plataformas implantadas. São mais comuns por serem dinâmicos e por garantirem a performance, segurança na troca de informações e clareza na descrição no serviço.
  • Troca eletrônica de dados: são utilizados para transferir arquivos gerados pelo sistema de origem em um formato pré-definido (xml, txt, csv etc.), para que sejam lidos/consumidos pelo sistema destino.
  • Via Banco de Dados: aqui são feitas comunicações utilizando conectores para integração direta aos bancos de dados, realizando o acesso restrito e utilizando tabelas específicas e isoladas para o fim de troca de dados entre os sistemas.
  • APIs: Semelhantes aos web services, porém, com pequenas diferenças, as APIs também possuem suas definições e protocolos permitindo que software, máquinas, dispositivos móveis e afins se comuniquem com outros produtos e serviços de maneira simplificada, segura e flexível, garantindo uma implementação ágil, gerando economia de tempo e recursos.

3. O que é o Protocolo Matrix? Por que ele ficou tão conhecido?

Protocolos são desenvolvidos para realizar a integração entre os sistemas. Um dos sistemas fornece o seu protocolo e o outro sistema deve passar informações utilizando as regras desse protocolo, para que ambos consigam “conversar”.

O Protocolo Matrix é utilizado para comunicação com outros sistemas, como HIS (Hospital Information System) ou LIS (Laboratory Information System) além de outros que precisem enviar dados para nossa plataforma. Existem no mercado outros protocolos de comunicação, como HL7, por exemplo. Porém, como a Matrix foi pioneira no fornecimento de interfaces para os laboratórios no mercado nacional, o Protocolo Matrix acabou ficando conhecido e amplamente utilizado diante da aderência de todos os players do setor, tornando-se um padrão.

Diante das boas práticas da segurança da informação, os protocolos oferecem à área de gestão de dados, rastreabilidade em cada uma das transferências de informações, além de tornar o envio e o recebimento mais ágil e confiável. 

Baseado no Protocolo Matrix, outros sistemas utilizados pelo laboratório ou pelos serviços que o apoiam, podem desenvolver soluções para o envio ou o recebimento de informações dos softwares Matrix, garantindo a integração e a comunicação, de forma simples e segura.

4. Como funcionam as integrações entre os módulos Matrix?

As comunicações entre os diversos produtos Matrix são através de protocolo próprio, garantindo alta compatibilidade, performance, escalabilidade e segurança no tráfego das informações. E todo o processo de integração conta com etapas de planejamento, que garantem o sucesso dos projetos. 

5. Como funcionam as integrações entre os sistemas Matrix e os sistemas externos?

Na maioria das vezes, os laboratórios utilizam diversos sistemas (como sistemas hospitalares, sistemas especialistas, sistemas de apoios e apoiados, ou ERP’s), e se veem diante da necessidade de possuir a comunicação com o Diagnosis ou com o Connect, que são os sistemas de gestão laboratorial e de interfaceamento, respectivamente.

Antes da implementação há uma avaliação aprofundada sobre as reais necessidades e expectativas do laboratório. Para desenvolver a integração, existem duas opções:

  • O laboratório solicita que o fornecedor do sistema externo desenvolva uma solução baseada no protocolo de comunicação da Matrix ou
  • O laboratório solicita que a Matrix desenvolva uma solução a partir do protocolo e padrões disponibilizados pelo sistema externo.

Independentemente do modelo adotado, sempre passamos por um processo de validação do escopo da integração, dos dados que precisam ser trafegados e também das regras de negócio que precisarão ser respeitadas. 

Após nos certificarmos de que todos os requisitos podem ser atendidos, e que o objetivo do nosso cliente será alcançado, iniciamos o desenvolvimento, quando somos os responsáveis por esta atividade, ou agendamos a homologação, quando o desenvolvimento é de responsabilidade do outro fornecedor de software.

Por fim, a Matrix já possui integrações disponíveis para a maioria dos sistemas hospitalares, dos sistemas de prontuário eletrônico e dos sistemas dos laboratórios de apoio

6. Por que contratar a solução da Matrix e não de outra empresa do ramo?

Não basta implantar uma integração que funcione. As integrações requerem suporte, já que os sistemas sofrem constantes atualizações, portanto, as integrações precisam se adequar na mesma velocidade.

A Matrix é especialista neste assunto e além de ser referência em qualidade no mercado, oferece a seus consumidores alguns diferenciais, como o seu suporte técnico.

As soluções da Matrix fazem com que as integrações sejam mais aderentes ao processo, garantindo a rastreabilidade total da comunicação (como mensagens e processamento das informações trocadas). Como resultado, podemos citar a segurança dos processos e mais confiabilidade.

É sempre importante pensar na gestão dosprocessos laboratoriais e entender que investir em tecnologia trará muito mais economia para o laboratório, do que a maioria dos investimentos. Para isso, é preciso contar com uma empresa experiente e sólida.

Agora que você já conhece melhor o assunto, aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais e permita que mais amigos, colegas e parceiros, entendam sobre a integração de softwares. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.